Câmara rejeita veto a programa de prevenção

Câmara rejeita veto a programa de prevenção

Os vereadores de Franca rejeitaram, na 1ª Sessão Ordinária do ano, na tarde desta terça-feira, o veto 15/2017, do prefeito Gilson de Souza, relativo ao Projeto de Lei 76/2017, de autoria do vereador Adermis Marini (PSDB), que dispõe sobre a criação do Programa Municipal de Prevenção ao Câncer Bucal.

A matéria já havia sido aprovada pelo Poder Legislativo, mas foi vetada pelo Executivo, após parecer jurídico que apontava para inconstitucionalidade na matéria, o que contou com a concordância os parlamentares, que optaram pela derrubada do veto.

O vereador Adermis Marini disse que a aprovação é importante e significa um significativo ganho para a saúde preventiva de Franca. O parlamentar citou dados do Instituto Nacional de Câncer, pelos quais estima-se que, em 2016, foram registrados 11.140 novos casos da doença em homens e 4.350 em mulheres. 

Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer bucal, foco do projeto apoiado pela Câmara, é o quarto mais frequente na Região Sudeste (14,58 para cada 100 mil).

O vereador afirma que o poder público em Franca já manifestou a gravidade da situação e que a implantação de uma campanha certamente contará com apoio da Prefeitura.

“Em release divulgado pela Prefeitura de Franca, em 07 de junho de 2017, o secretário municipal de Saúde, Rodolfo Moraes Silva, afirmou que a prevenção é a melhor solução e que qualquer pessoa pode fazer isso de forma eficaz. Nas avaliações nas UBSs, confirmado o diagnóstico, o paciente é orientado e encaminhado para o tratamento adequado. Então, o importante agora é a prevenção”, disse Adermis Marini.