Câmara discute importância da atuação do CVV

Câmara discute importância da atuação do CVV

Os vereadores participaram de um importante debate na manhã desta terça-feira, durante o Expediente da 37ª Sessão Ordinária. O tema foi a relevância dos trabalhos realizados na cidade na prevenção dos casos de suicídios.

A discussão contou com a presença do coordenador do CVV (Centro de Valorização da Vida) de Franca, Ildebrando Moraes, que explicou a abrangência dos atendimentos do órgão e destacou a Semana de Valorização da Vida, comemorada anualmente por lei de autoria de Adermis Marini (PSDB) criada no Poder Legislativo.

Moraes explicou que o CVV já atua em Franca há 36 anos e que o trabalho, como diz o nome, visa a valorizar a vida e minimizar os casos do gênero. “O dia dez de setembro é o Dia Mundial de Previsão do Suicídio. É um problema que vem crescendo e nosso combate é contra isso. Esse mês faremos o Setembro Amarelo, que é de alerta, e levaremos informação à sociedade. Basta de silêncio, temos de falar sobre a prevenção”, disse o coordenador.

Os vereadores parabenizaram o CVV pelo trabalho e ressaltaram a necessidade do poder público auxiliar na divulgação das ações de prevenção realizadas pelo centro. “Este foi o primeiro projeto que tive a satisfação de apresentar e aprovar na Câmara, quando exerci meu primeiro mandato como vereador em Franca. É um tema delicado, sensível, que deve ter especial atenção. De fato é fundamental romper o silêncio”, disse Adermis Marini.

Pastor Otávio Pinheiro (PTB) questionou Moraes sobre como a população pode se voluntariar para participar do trabalho do CVV. “Há outras frentes de trabalho hoje além do atendimento tradicional, por telefone, como irmos até a comunidade. Mas o voluntariado é sempre importante. Oferecemos o treinamento para quem se dispor a ser voluntário. São três meses de treinamento para que a pessoa esteja plenamente preparada”, explicou o coordenador.

Moraes também informou que o número 188 foi liberado para o CVV de forma gratuita para quem ligar, de todo o país, a partir de telefones fixos ou celulares. O serviço em breve será disponibilizado para Franca, segundo o coordenador. “O número 141 é tarifado, já o 188 é gratuito. Está sendo implantado aos poucos, mas a intenção é que, gradativamente, o número sirva a todo o país”.

Corrêa Neves Júnior (PSD) ressaltou a dificuldade para abordar o tema suicídio, que ainda é visto com muita reserva pela sociedade. “Isso vai contra a corrente de tudo, a pessoa tirar a própria vida. E é um mal que atinge a todos, sendo que os países com mais casos de suicídio são ricos, de primeiro mundo. É meritório o trabalho de voluntários como vocês”, disse o vereador.

Ilton Sérgio Ferreira (DEM) também avaliou o trabalho do CVV como de vital importância. Ele afirmou que já foi voluntário e vivenciou de perto os méritos do centro. “Não é um problema resolvido em redes sociais. É preciso ter alguém do outro lado e o CVV oferece isso”, afirmou.

O presidente Marco Garcia (PPS) fechou as discussões. “Até então era um tema que ficava no silêncio. Essa luta diária pela vida do CVV é louvável. Conte com essa Câmara Municipal para o que for preciso”, disse.