Cear aponta caminhos para melhorar transporte

Os vereadores integrantes da Cear (Comissão Especial para Assuntos Relevantes), que avaliam o contrato de concessão do transporte público de Franca entre a Empresa São José e a Prefeitura, estiveram em São José do Rio Preto, a 200 quilômetros de Franca, para avaliar o transporte público daquela cidade, tido como modelo.

Em Rio Preto, conheceram o modelo adotado e voltaram com a conclusão de que, em Franca, o serviço é passível de melhorias para tópicos como: falta de ônibus, veículos mal conservados, itinerários que excluem bairros distantes e descumprimento de horários – e mesmo assim praticando uma das tarifas mais altas do país, de R$ 3,80.

Os vereadores Corrêa Neves Júnior (PSD), Diretor Marcos (PSDB) e Ilton Ferreira (DEM) viram outra realidade em Rio Preto, onde há duas empresas operando, divididas em dois lotes de transporte coletivo, em um total de 250 ônibus em circulação, mais que o dobro dos 98 de Franca.

Além disso, os usuários de lá podem acessar, via aplicativo de celular, e em tempo real, a localização dos circulares e quanto tempo falta para que cheguem a cada ponto. Todos os ônibus são adaptados para o transporte de deficientes físicos e possuem instaladas quatro câmeras que gravam tudo que acontece no trajeto, dentro e fora do ônibus.

“Para completar, dois números traduzem a eficiência da fiscalização. Desde que a nova concorrência entrou em vigor, há quatro anos, Rio Preto aplicou nada menos que 20 mil multas contra as empresas, num total de R$ 3 milhões em penalidades.
Tudo resulta em multa: atraso, pular ponto, mudar a rota. Fora a tarifa, que lá é de R$ 2,90 se usar o cartão”, disse Corrêa Neves Júnior.

O vereador disse ainda que as gratuidades, que justificariam a tarifa elevada de Franca, também existem em Rio Preto, com exceção dos trabalhadores sindicalizados, que não têm descontos.

“Mas isso, nem de longe, explica a diferença da tarifa e muito menos da qualidade do serviço. Mas nem sempre foi assim por lá, pois havia reclamações intensas. Mas o prefeito anterior contratou estudos e consultorias, fez uma concorrência impecável e colocou a fiscalização para funcionar. Seu exemplo mostra que, quando há vontade política, dá para fazer. A Cear vai apresentar alternativas”, concluiu Corrêa.